• Cátia Almeida

"Free the Nipple!"... ainda??

Há uns anos atrás, em 2014, Lina Esco lançou um filme que deu origem à campanha #freethenipple. 7 anos depois, sem grande surpresa, os mamilos das mulheres continuam a ser um tema de censura.



Afinal, o que se pretende com este movimento? Andar de topless e mamas ao léu? Bem, se eu o quiser fazer, sim. Mas a questão é mais profunda do que isso e está muito mais relacionada com a igualdade de direitos do que com exibicionismos.


Anatomicamente falando, o mamilo do homem é igual ao mamilo da mulher. É uma parte do corpo comum a ambos os sexos. É uma área considerada erótica? Pode ser mas isso acontece tanto no homem, como na mulher. Então porque raio é que só os homens é que podem mostrar livremente os seus mamilos enquanto os das mulheres são vistos como indecentes e obscenos?


Será realmente ofensivo andar sem soutien? É um crime amamentar um bebé em público? É mesmo um atentado ao pudor uma mulher fazer topless na praia?


Todas estas questões levantadas há anos atrás continuam em aberto: o corpo da mulher continua a ser sexualizado da forma que convém a uma sociedade patriarcal e os direitos das mulheres continuam em pé de desigualdade.


Por exemplo, na Vanilla Vice desenhei duas t-shirts (a No Bra Club e a Boobies) cuja inspiração foi mesmo essa: igualdade de direitos e dar à mulher liberdade para, por exemplo, se sentir normal em não usar soutien. Acreditem ou não, ambas as t-shirts foram banidas do Facebook e do Instagram e não as posso promover ou colocá-las à venda nas plataformas pois ambas foram censuradas por violarem as políticas destas redes sociais.


(imagem da direita: Martinha Gomez | Insta: @martinhagomez)


"Este artigo foi rejeitado porque não está em conformidade com as nossas Políticas [...]. Conteúdo sexualmente sugestivo".


Será assim tão descabido pensarmos que mostrar os mamilos das mulheres seja exactamente a mesma coisa que mostrar os mamilos dos homens? Será que podemos não querer usar soutien sem que pensem que estamos a fazer uma sugestão sexual? É porque os homens não usam soutien, os mamilos também aparecem debaixo das t-shirts e ninguém os manda tapar.


Free the Nipple não é um movimento reduzido a um "só querem é mostrar as mamas". É uma luta pela igualdade de direitos de género. É um pedido de liberdade enquanto mulheres. É poder mostrar uma parte do corpo que é igual à do homem, é poder amamentar um bebé em público sem ter que ir a uma casa-de-banho, é assumir a naturalidade do corpo humano!


A campanha fala de uma questão que nos faz realmente pensar nos valores da nossa sociedade: como é que é aceitável ver na televisão crimes ensanguentados, filmes explícitos de guerra e cenas de violência e é altamente condenável ver um corpo nu? Ou um mamilo de mulher?


Há coisas que dão que pensar. E há coisas que têm de mudar.


Empoderar a mulher é dar-lhe controlo e liberdade sobre o seu corpo e mostrar os mamilos ou andar sem soutien são dois direitos que devem ser assumidos sem terem de ser alvo de julgamento, censura ou olhares revoltados.


É hora de acabar com os preconceitos, os tabus e a sexualização inapropriada dos nossos mamilos. É hora de mostrar que já estamos fartas e já chega de manipular a nossa imagem e o nosso corpo. E começa em nós, mulheres, ter vontade de vivermos numa sociedade mais livre e mais justa connosco mesmas.